MOEDAS ROMANAS QUE PODEM MUDAR A HISTORIA DO KOTEL

MOEDAS ROMANAS PODEM MUDAR TEORIA SOBRE A HISTORIA DO MURO DAS LAMENTAÇÕES







* A descoberta de 17 moedas romanas e três lamparinas de barro em uma mikvá (espécie de piscina interna utilizada para rituais judaicos) em escavações arqueológicas realizadas sob o Muro das Lamentações deve alterar a teoria aceita sobre a construção, local sagrado para os judeus. Até agora, acreditava-se que o muro - o que restou do Templo de Herodes – fora erguido durante o reinado de Herodes (37 a.C. a 4 a.C.). As datas da moedas, entretanto, mostram que uma parte da construção foi feita após a morte desse rei.

As escavações fazem parte do projeto para redescobrir o canal de drenagem da Cidade Antiga de Jerusalém. Durante os trabalhos, foi descoberta a mikvá, sobre a qual foram colocadas grandes pedras e erguido um dos pilares para o Templo de Herodes. Escavando a mikvá, foram encontradas as três lamparinas em estilo prevalente no século I e 17 moedas de bronze. As moedas mais recentes foram cunhadas pelo Império Romano nos anos 17 e 18 d.C. – o que indica que o Arco de Robinson e provavelmente uma parte do Muro das Lamentações foram construídas depois dessa data. Dessa forma, a conclusão das obras devem ter ocorrido ao menos 20 anos após a morte de Herodes.

A descoberta confirma descrições deixadas pelo historiador judaico-romano Josefo, do século 1 (37 ou 38 d.C. a cerca de 100 d.C.). De acordo com a teoria de Josefo, a construção do que hoje é o Muro das Lamentações só foi concluída sob o reinado de Agrippa II (neto de Herodes).

Fonte: Época